domingo, 15 de novembro de 2015

História aviação

APRESENTAÇÃO
Este é apenas um material didático para ser utilizado na disciplina de História da Aviação, considerando o aspecto do desenvolvimento do transporte aéreo no Brasil. Portanto, não é um livro de História e nem sequer um registro de memória. Para ter alguma lógica em sua maior parte segue uma ordem cronológica, evidenciando os acontecimentos que mais influíram no progresso da aviação de transporte no país. E, para melhor compreensão, é preciso primeiro contextualizá-lo no curso da História Mundial. Por isto, antes é visto seu início, evolução e aplicação aos meios econômicos no mundo, uma vez que ele e as telecomunicações são os suportes do processo de globalização em curso. E, depois, vê-se a sua atuação na economia brasileira no correr do tempo.
O SONHO DE VOAR EXPRESSA O DESEJO DE LIBERDADE
A mitologia grega conta que Dédalo, por ter matado Talo, foi preso junto com seu filho no labirinto. Então, construiu asas artificiais, juntando penas de gaivota com cera do mel de abelhas. Assim, conseguiram fugir. Antes, alertou o filho para não voar muito perto do Sol, pois a cera das asas poderia derreter com o calor, e nem muito perto do mar porque as asas ficariam mais pesadas. O jovem Ícaro, porém, não atendeu os conselhos do pai e, querendo realizar o sonho de ir mais alto, subiu e suas asas se desfizeram e ele despencou no mar Egeu, enquanto que seu pai, aos prantos, voou rumo à costa, chegando a salvo. Estranhamente, sempre se reverencia o jovem Ícaro, que errou, e não Dédalo, o planejador, projetista, orientador e zeloso da segurança.
DO  MITO  À  REALIDADE
O ser humano sempre tentou realizar o sonho de voar para alcançar um grau de liberdade que as limitações de seu corpo lhe impõem. Transpor montanhas, cursos d’água, florestas e evitar várias dificuldades naturais eram idealizações humanas despertadas quando apreciava o vôo dos pássaros e via como superavam tudo que lhes obstruía o caminho. Voar significa vencer a força da gravidade, afastar-se do campo de atração do planeta e, assim, poder percorrer os espaços, vencendo facilmente os obstáculos da natureza. aviação
Já na Antiguidade algumas tentativas foram feitas, por exemplo, com pipas, na China. Na Idade Média o estudioso Leonardo Da Vinci desenvolveu teorias sobre o vôo, observando como os pássaros o realizavam. Porém, todos os estudos e as tentativas de concretizá-lo frustravam-se pela falta de tecnologia capaz de torná-lo real. Somente na Idade Moderna (Século XIX) que foram desenvolvidas tecnologias suficientes que possibilitaram projetar e construir máquinas voadoras, possibilitando o homem finalmente alçar aos céus.

LEONARDO  DA  VINCI

Convém comentar um pouco sobre Leonardo Da Vinci, uma vez que ele realizou os primeiros estudos relativos ao vôo com alguma base científica – observação de fatos da natureza e tentativa de aplicá-los ao cotidiano da Humanidade. Leonardo di Ser Piero da Vinci nasceu em 1452 em Anchiano (média Itália), foi artista, poeta, matemático, arquiteto, engenheiro militar. Trabalhou com matemática, perspectiva, ótica, mecânica, balística, fortificações, hidráulica e astronomia. Na área têxtil desenhou um fuso móvel, um dispositivo para tornos e um conjunto automatizado de rosca e parafuso. Começou a análise dos movimentos e via na força da água um propulsor de máquinas, crendo que seu deslocamento era a chave da vida no mundo. fabricar um aeromodelo  Entendia a matemática como o meio do homem se relacionar com a natureza. Um dos estudos mais interessantes que fez foi a idealização de uma máquina que voasse, usando como modelo as asas do morcego, preocupando-se com a sustentabilidade e com a direcionalidade. Faleceu em Amboise em 1519, deixando muitas anotações de seus estudos e que ficaram perdidas por longo tempo. Recentemente foram descobertas e, daí então, percebeu-se o quanto aquele gênio do Renascimento estava avançado em relação ao seu tempo. Somente 200 anos depois de sua existência haveriam estudos complementares aos seus sobre o vôo com experiências práticas que o realizassem. aviões

Nenhum comentário:

Postar um comentário